sábado, 11 de julho de 2009

PLATAFORMA P-55 EM RIO GRANDE - RS

IESA inicia construção de canteiro de obras na área do dique seco
A Iesa Óleo & Gás, empresa contratada para a construção de dois módulos da plataforma P-55, já tem uma equipe atuando na área do primeiro dique seco de grande porte do País, em construção no Superporto do Rio Grande. E ontem começou os trabalhos de construção do seu canteiro de obras (área administrativa) na parte sul do dique, atrás da subestação de energia. Os trabalhos iniciais consistem na instalação das fundações para este canteiro, que compreende a implantação de seus escritórios, de um refeitório, vestiário, espaço de vivência para os trabalhadores e de controle de acessos.Conforme o gerente administrativo e financeiro da Iesa, Rodrigo de Oliveira da Rosa, essa obra está a cargo da empresa Novo Espaço, de São Paulo, que deverá conclui-la em 60 dias. A mesma empresa irá realizar o cercamento desta e da área de montagem dos módulos, que resultará num total de aproximadamente 1000 metros de cerca. A Iesa vai construir os módulos de compressão e de redução de sulfato da P-55. Para o início da preparação da área de montagem dos módulos, localizada ao lado do depósito alfandegado da Petrobras e compreendendo 13 mil metros quadrados, ainda não há previsão porque o espaço até o momento não foi liberado. Nesta área serão construídas as bases de concreto sobre as quais serão colocados os painéis de estruturas metálicas para a montagem dos módulos.Atualmente, já há 16 carretas de estruturas metálicas prontas para serem entregues à empresa para a construção dos painéis. Essas estruturas metálicas são de diferentes tamanhos, pesando de seis a 12 toneladas cada. Rodrigo da Rosa informou que está previsto para novembro deste ano o início da construção dos dois módulos contratados, serviço que deverá ser concluído em aproximadamente um ano e três meses. No entanto, as atividades da empresa para execução dos dois contratos feitos com a Petrobras Netherlands B.V.(PNBV) começaram em novembro de 2008, com o detalhamento do projeto de engenharia, realizado em Macaé (RJ) por engenheiros da base de manutenção de plataformas.O investimento total na construção dos dois módulos é de R$ 234 milhões. Só essa parte dos trabalhos para a P-55 irá gerar, em Rio Grande, 480 empregos diretos e 200 indiretos. O processo de seleção de mão-de-obra deve começar em outubro deste ano, mas ontem a Iesa fez a primeira contratação no projeto: a de um técnico de segurança, que é do Rio Grande. Rosa disse que a empresa vai ter um setor de recrutamento externo e dará prioridade à mão-de-obra do Município. "Vamos priorizar a contratação de trabalhadores do Rio Grande, desde que sejam qualificados", salientou.A empresa necessitará de trabalhadores das áreas de Construção Civil, como pedreiros, carpinteiros e ajudantes de obra, e de eletromecânica, como encanadores, soldadores, caldeireiros, eletricistas e instrumentistas; entre outros, além de administrativos. A Iesa Óleo & Gás, com sede na cidade do Rio de Janeiro, é especializada em projetos de engenharia, em manutenção e reforma de plataformas de petróleo e gás.
Fonte: Lornal Agora

Nenhum comentário:

Loading...